Voltar para o topo

Notícias

30/11/19 17:34

Chiaki Ishii é homenageado pela CBJ e recebe a comenda da Ordem do Mérito do Judô Brasileiro

Medalha e diploma foram outorgados neste sábado, 30, ao primeiro medalhista olímpico do judô brasileiro

Silvio Acácio Borges e Chiaki Ishii com a comenda da Ordem do Mérito da CBJ. Foto: Lara Monsores/CBJ Silvio Acácio Borges e Chiaki Ishii com a comenda da Ordem do Mérito da CBJ. Foto: Lara Monsores/CBJ

O pioneiro judoca brasileiro Chiaki Ishii recebeu, neste sábado, 30, em Balneário Camboriú, a inédita comenda da Ordem do Mérito do Judô Brasileiro, homenagem outorgada pela Confederação Brasileira de Judô em reconhecimento ao primeiro medalhista olímpico e mundial da modalidade no Brasil. 

A medalha e o diploma foram entregues pelo presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges, que destacou a importância de Ishii na história do judô brasileiro e o significado da condecoração criada em 2019 como parte das comemorações de 50 anos de fundação da Confederação. 

"Nós estamos resgatando as raízes do judô brasileiro com essa homenagem ao sensei Ishii, que muito me honra. A CBJ está muito feliz com esse momento de poder agraciar com a primeira comenda da Ordem do Mérito uma das personalidades mais importantes do judô e do esporte do Brasil", afirmou o presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges.  

Ao receber a comenda, Chiaki Ishii agradeceu à Confederação pelo reconhecimento e não segurou a emoção. 

"Minha vida toda foi só treinar judô, tudo pelo judô. Fico muito emocionado de receber esse diploma e a medalha. Gostei muito da homenagem", resumiu Ishii, que veio a Camboriú acompanhado por sua esposa, seu genro e sua filha Vânia, também ex-atleta da seleção brasileira de judô. 

"Falando em nome da família Ishii, é uma grande emoção estarmos recebendo essa comenda que faz jus ao meu pai, o primeiro medalhista olímpico do judô brasileiro. Fico muito feliz e muito agradecida. Há um tempo, meu pai ficou doente e, só neste ano, se recuperou. E, com essa homenagem, ele deu uma florescida e o ânimo voltou. É uma alegria vê-lo desse jeito e recebendo esse reconhecimento", comentou Vânia. 

A cerimônia de outorga do Mérito da CBJ a Chiaki Ishii foi prestigiada por Danys Queiroz, vice-presidente da CBJ; Icracir Rosa, presidente do Conselho de Graduação da CBJ; Michiharu Sogabe, membro do Conselho de Graduação da CBJ; Edison Minakawa, coordenador nacional de arbitragem; Rioiti Uchida, coordenador nacional de Kata; por coordenadores de arbitragem de diversos estados; e pelos presidentes Moisés Penso (SC), Marcelo Ornellas (BA), Paulo Cézar Ferreira (RR), Alessandro Puglia (SP), Rodolfo Leiete (MA), Alcindo Campos (PA) e Luiz Gonzaga Filho (DF). 

Após o evento, Ishii seguiu para o ginásio Multieventos Sergio Lorenzato, onde acontecem as disputas do Campeonato Brasileiro Sênior de Judô, e acompanhou, empolgado a cada ippon, os combates ao lado dos técnicos da seleção brasileira, Luiz Shinohara e Mario Tsutsui, além do bicampeão mundial, João Derly, que também prestigiou o evento neste sábado. 

Ordem do Mérito CBJ - A Ordem do Mérito da Confederação Brasileira de Judô, instituída pelo presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges, em 2019, ano de comemoração do Cinquentenário dessa instituição, tem por finalidade agraciar com uma insígnia personalidades ou instituições, nacionais ou estrangeiras,  que  tenham  se  destacado  por suas  atividades  em  seu  ramo  ou  prestado  relevantes  serviços ao judô brasileiro, bem como em outra atividade sociocultural e esportiva. A insígnia da Ordem do Mérito é constituída de uma cruz de cinco pontas, tendo ao centro a logomarca especial de 50 anos da CBJ.

Chiaki Ishii – Nascido em 1º de outubro de 1941 em Ashikaga, Japão, Chiaki Ishii chegou ao Brasil na década de 1960 em busca de uma nova vida após a frustração de perder a seletiva olímpica para representar o judô japonês nos Jogos de Tóquio 1964, quando o Judô entrou pela primeira vez no programa olímpico.

Influenciado pelos filmes de faroeste norte-americanos dos anos 50 e 60, Ishii tinha o sonho de ser fazendeiro, ou cowboy. Trabalhou em fazendas no interior de São Paulo, mas, com dificuldade para realizar o sonho no começo da jornada no Brasil, voltou-se para o esporte que havia treinado desde pequeno, na academia do avô, no quintal de casa. Além de ensinar judô, ele passou a desafiar judocas brasileiros em troca de recompensas, algumas vezes até por comida.

Chamava atenção sua técnica e a velocidade com que finalizava seus combates por ippon. Foi então que, a pedido de Augusto Cordeiro, então presidente da Confederação Brasileira de Pugilismo, que administrava o judô no Brasil, Ishii naturalizou-se brasileiro e, com isso, vieram títulos nacionais, sul-americanos, pan-americanos e os mais importantes: o bronze no Mundial de Ludwigshafen 1971 e o bronze olímpico em Munique 1972.

Até hoje, Ishii ainda usa a sua academia em São Paulo para passar o conhecimento para novas gerações de medalhistas olímpicos, como Rafael Silva, bronze em Londres 2012 e Rio 2016.

Tânia e Vânia, filhas do sensei, também levaram o sobrenome Ishii aos Jogos Olímpicos. Tânia foi a Barcelona 1992. Vânia representou o Brasil em Sydney 2000 e Atenas 2004.

Imparável, Ishii voltou às competições internacionais em 2016, e conquistou o ouro no Campeonato Mundial de Veteranos, na categoria meio-pesado M10, aos 75 anos.

O pioneiro judoca olímpico Chiaki Ishii recebeu, neste 
sábado, 30, em Balneário Camboriú, a inédita comenda 
da Ordem do Mérito do Judô Brasileiro, homenagem 
outargada pela Confederação Brasileira de Judô em 
reconhecimento ao primeiro medalhista olímpico e 
mundial da modalidade no Brasil. 
A medalha e o diploma foram entregues pelo presidente 
da CBJ, Silvio Acácio Borges, que destacou a 
importância de Ishii na história do judô brasileiro e 
o significado da condecoração criada em 2019 como 
parte das comemorações de 50 anos de fundação da 
Confederação. 
"Nós estamos resgatando as raízes do judô brasileiro 
com essa homenagem ao sensei Ishii, que muito me 
honra. A CBJ está muito feliz com esse momento de 
poder agraciar com a primeira comenda da Ordem do 
Mérito uma das personalidades mais importantes do judô 
e do esporte do Brasil", afirmou o presidente da CBJ, 
Silvio Acácio Borges.  
Ao receber a comenda, Chiaki Ishii agradeceu à 
Confederação pelo reconhecimento e não segurou a 
emoção. 
"Minha vida toda foi só treinar judô, tudo pelo judô. Fico muito emocionado de receber esse diploma e a medalha. Gostei muito da homenagem", resumiu Ishii, que veio a Camboriú acompanhado por sua esposa, seu genro e sua filha Vânia, também ex-atleta da seleção brasileira de judô. 
"Falando em nome da família Ishii, é uma grande emoção estarmos recebendo essa comenda que faz jus ao meu pai, o primeiro medalhista olímpico do judô brasileiro. Fico muito feliz e muito agradecida. Há um tempo, meu pai ficou doente e, só neste ano, se recuperou. E, com essa homenagem, ele deu uma florescida e o ânimo voltou. É uma alegria vê-lo desse jeito e recebendo esse reconhecimento", comentou Vânia. 
A cerimônia de outorga do Mérito da CBJ a Chiaki Ishii foi prestigiada por Danys Queiroz, vice-presidente da CBJ; Icracir Rosa, presidente do Conselho de Graduação da CBJ; Michiharu Sogabe, membro do Conselho de Graduação da CBJ; Edison Minakawa, coordenador nacional de arbitragem; Rioiti Uchida, coordenador nacional de Kata; por coordenadores de arbitragem de diversos estados; e pelos presidentes Moisés Penso (SC), Marcelo Ornellas (BA), Paulo Cézar Ferreira (RR), Alessandro Puglia (SP), Rodolfo Leiete (MA), Alcindo Campos (PA) e Luiz Gonzaga Filho (DF). 
Após o evento, Ishii seguiu para o ginásio Multieventos Sergio Lorenzato, onde acontecem as disputas do Campeonato Brasileiro Sênior de Judô, e acompanhou, empolgado a cada ippon, os combates ao lado dos técnicos da seleção brasileira, Luiz Shinohara e Mario Tsutsui, além do bicampeão mundial, João Derly, que também prestigiou o evento neste sábado. 
Ordem do Mérito CBJ - A Ordem do Mérito da 
Confederação Brasileira de Judô, instituída pelo 
presidente da CBJ, Silvio Acácio Borges, em 2019, ano 
de comemoração do Cinquentenário dessa instituição, 
tem por finalidade agraciar com uma insígnia 
personalidades ou instituições, nacionais ou 
estrangeiras,  que  tenham  se  destacado  por suas  
atividades  em  seu  ramo  ou  prestado  relevantes  
serviços ao judô brasileiro, bem como em outra 
atividade sociocultural e esportiva. A insígnia da 
Ordem do Mérito é constituída de uma cruz de cinco 
pontas, tendo ao centro a logomarca especial de 50 
anos da CBJ.
Chiaki Ishii – Nascido em 1º de outubro de 1941 em 
Ashikaga, Japão, Chiaki Ishii chegou ao Brasil na 
década de 1960 em busca de uma nova vida após a 
frustração de perder a seletiva olímpica para 
representar o judô japonês nos Jogos de Tóquio 1964, 
quando o Judô entrou pela primeira vez no programa 
olímpico.
Influenciado pelos filmes de faroeste norte-americanos 
dos anos 50 e 60, Ishii tinha o sonho de ser 
fazendeiro, ou cowboy. Trabalhou em fazendas no 
interior de São Paulo, mas, com dificuldade para 
realizar o sonho no começo da jornada no Brasil, 
voltou-se para o esporte que havia treinado desde 
pequeno, na academia do avô, no quintal de casa. Além 
de ensinar judô, ele passou a desafiar judocas 
brasileiros em troca de recompensas, algumas vezes até 
por comida.
Chamava atenção sua técnica e a velocidade com que 
finalizava seus combates por ippon. Foi então que, a 
pedido de Augusto Cordeiro, então presidente da 
Confederação Brasileira de Pugilismo, que administrava 
o judô no Brasil, Ishii naturalizou-se brasileiro e, 
com isso, vieram títulos nacionais, sul-americanos, 
pan-americanos e os mais importantes: o bronze no 
Mundial de Ludwigshafen 1971 e o bronze olímpico em 
Munique 1972.
Até hoje, Ishii ainda usa a sua academia em São Paulo 
para passar o conhecimento para novas gerações de 
medalhistas olímpicos, como Rafael Silva, bronze em 
Londres 2012 e Rio 2016.
Tânia e Vânia, filhas do sensei, também levaram o 
sobrenome Ishii aos Jogos Olímpicos. Tânia foi a 
Barcelona 1992. Vânia representou o Brasil em Sydney 
2000 e Atenas 2004.
Imparável, Ishii voltou às competições internacionais 
em 2016, e conquistou o ouro no Campeonato Mundial de 
Veteranos, na categoria meio-pesado M10, aos 75 anos.





Visualizar mais fotos


Veja Também
14/12/19 12:06 Brasil fecha World Masters de Qingdao com dois quintos e um sétimo lugar 12/12/19 11:59 Após duas vitórias na estreia, Brasil vai para o segundo dia do World Masters com quatro judocas na busca pela primeira medalha do país na competição 11/12/19 12:29 Brasileiros conhecem primeiros adversários no World Masters da China 11/12/19 11:21 Em parceria com COB, CBJ promove workshop para treinadores das categorias de base do judô brasileiro 11/12/19 10:44 Chiaki Ishii e Mayra Aguiar são homenageados pelo COB no Prêmio Brasil Olímpico 09/12/19 11:38 Judô brasileiro disputa World Masters em busca dos últimos pontos da temporada 2019 05/12/19 10:52 Homenagens, planejamento para 2020 e adesão em massa da arbitragem: o sucesso do I Encontro Nacional de Arbitragem da CBJ 03/12/19 15:56 Seleção Brasileira de Judô segue preparação para o World Masters chinês em Tenri, no Japão 02/12/19 17:28 Três meses após dar à luz, judoca é campeã brasileira e sobe ao pódio com filho nos braços 02/12/19 11:38 Judocas de 16 estados conquistam medalhas no Campeonato Brasileiro Sênior de Judô
PATROCINADORES
PATROCINADOR OFICIAL
FORNECEDOR OFICIAL
Apoio
PARCEIROS DE MÍDIA
Apoio
Travel Ace Assistance
Siga-nos nas redes sociais
Confederação Brasileira de Judô
Horário de funcionamento: Segunda à Sexta das 9h às 18h
Rua Capitão Salomão, 40 - Humaitá - Rio de Janeiro - RJ / Brasil / CEP: 22271-040
Tel: 55 21 2463-2692 / Fax: 55 21 2462-3274
Website por RDWEB