Voltar para o topo

Notícias

24/03/20 12:32

Reações de dirigentes e atletas do Judô sobre o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para 2021

Comitê Olímpico Internacional e Governo do Japão confirmaram mudança histórica nesta terça-feira, 24, em decorrência da pandemia do Coronavírus

Com o agravamento contínuo da pandemia de COVID-19 (coronavírus), o Comitê Olímpico Internacional e o Governo do Japão anunciaram, nesta terça-feira, 24, o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para 2021. O evento, que começaria em 24 de julho de 2020, será realizado até, no máximo, o verão de 2021, no Japão. A marca Tokyo 2020 será, contudo, mantida pelos organizadores.  

No Brasil e no mundo, atletas e dirigentes reagiram à decisão inédita na história dos Jogos Olímpicos que, em outras ocasiões, já foram cancelados por causa de guerras, mas, nunca haviam sido adiados.  

Confira abaixo algumas das principais reações:  

Marius Vizer - Presidente da Federação Internacional de Judô

“Eu sei que foi uma decisão difícil, porque a decisão afeta totalmente os atletas e o esporte, mas neste momento foi a melhor decisão para proteger todos. Concluindo, quero agradecer muito a sábia decisão do COI junto ao Governo do Japão, levando em consideração que todos nós, COI, Movimento Mundial do Esporte e Governos, não podemos lutar contra um inimigo invisível e imprevisível. 

Silvio Acácio Borges - presidente da CBJ 

“Eu acho que os últimos movimentos desde que o COB se manifestou levavam a esse cenário. É uma decisão sensata que veio ao encontro de uma expectativa de todos. Do ponto de vista das instituições, como o COI, comitê organizador, comitês olímpicos, federações internacionais e confederações vai impactar e vai exigir um novo contexto administrativo. Para o atleta, sobretudo, foi uma grande decisão. No geral, vejo de forma muito positiva esse adiamento. Não se poderia esperar algo diferente diante das consequências graves dessa pandemia.” 

Ney Wilson Pereira - gestor de Alto Rendimento da CBJ 

“A primeira palavra que me vem à cabeça é ippon! Foi um ippon! Não tinha a menor condição de adiar para esse ano ainda. Ninguém sabe o quanto tempo vai durar essa pandemia, quando os atletas voltarão a treinar normalmente. Os Jogos Olímpicos são para os atletas chegarem no ápice. É onde vemos as melhores lutas, as performances históricas e isso não seria possível dentro dessa realidade. Foi uma decisão sensata. Agora é aguardar o que a FIJ vai determinar para o calendário, regras de classificação e começar a replanejar a partir daí. Penso que só em meados de junho poderemos pensar nesse novo planejamento de forma mais concreta. Há muitas dúvidas ainda. Mas, é uma noticia que permite várias situações positivas. Atletas que estavam sem treinar, outros já sem esperança de se classificarem. Vai dar tempo para os atletas do mundo inteiro chegarem em condição de igualdade que é o mais justo nos Jogos Olímpicos.” 

Rafael Silva “Baby” (+100kg) - bronze Londres 2012 e Rio 2016

“Está todo mundo no mesmo barco esperando resolver isso da melhor maneira possível e acho que daqui a alguns meses vamos voltar ao normal, falar de treinamento, de competição, de classificação olímpica. É um momento de bastante união e tomara que sejam os Jogos para a gente comemorar a vitória sobre essa pandemia que está causando muita tristeza no mundo.” 


Sarah Menezes (52kg) - campeã olímpica Londres 2012 

“É uma notícia que muda tudo. Zera tudo e começa um novo ciclo. O lado bom é que é uma nova chance para todos, principalmente para mim, que passei um período bem difícil, voltando de lesão. E o lado ruim é por conta do que o mundo está vivendo hoje. Essa pandemia mudou os sonhos e a vida de muita gente. Eu pensava em parar com o Judô esse ano após os Jogos Olímpicos. Agora, com esse adiamento, vou continuar até lá. Depois eu penso de parar, de me aposentar em termos de competição. Mas, agora, é continuar sonhando e aproveitar essa segunda chance.  

Felipe Kitadai (60kg) - medalha de bronze Londres 2012 

“Eu acredito que essa medida foi a mais certa a ser tomada. Não faz sentido nenhum o mundo inteiro estar lutando para conter um vírus e, logo em seguida, sem saber quanto tempo ou se vai dar certo essa briga, juntar o mundo inteiro num lugar só e fazer uma grande festa. Seria uma decisão muito errada manter as Olimpíadas. Foi a melhor decisão para a humanidade. A gente nunca pode botar nada acima da saúde. Nossos princípios de humanidade têm que estar sempre ativos, não podemos esquecer disso nunca. Para 2021 o plano não muda. É ser campeão olímpico, dar meu máximo todos os dias. Tivemos uma grande vitória com esse adiamento e agora é trabalhar em cima dos erros e chegar lá em 2021 mais forte ainda.” 

Daria Bilodid (48kg) - ucraniana bicampeã mundial 

"Eu tinha mais medo do adiamento dos Jogos Olímpicos. Sempre sonhei com Tóquio 2020 desde a infância. Treinei muito e me preparei para este ano. E estou muito chateada. Mas, apesar disso, entendo que a saúde é mais importante do que todas as competições e agora a coisa mais importante para todos é cumprir as regras de segurança e ser saudável”, disse ao judoinside.com  

Naohisa Takato (60kg) - japonês tricampeão mundial e bronze Rio 2016 

“Aconteça o que acontecer, eu estou pronto para lutar”, em entrevista ao judoinside.com 





Veja Também
27/03/20 20:23 Clubes e CBJ promovem Desafio Olímpico, ao vivo, no Instagram 27/03/20 13:58 SESSÃO PIPOCA – Assista a documentários, reportagens especiais e vídeos sobre Judô 25/03/20 14:01 ALÉM DO JUDÔ – Judoca e enfermeira 24/03/20 15:39 Nota Oficial - Adiamento dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 24/03/20 14:56 Clubes apostam em plataformas digitais para manter atletas ativos durante a quarentena 23/03/20 16:36 COB reforça orientações e recomendações aos atletas sobre cuidados com o Coronavirus 21/03/20 13:39 Confederação Brasileira de Judô endossa posicionamento do COB em defesa do adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 18/03/20 18:33 ALÉM DO JUDÔ - Judoca e advogado
PATROCINADOR OFICIAL
FORNECEDOR OFICIAL
Apoio
PARCEIROS DE MÍDIA
Siga-nos nas redes sociais
Confederação Brasileira de Judô
Horário de funcionamento: Segunda à Sexta das 9h às 18h
Rua Capitão Salomão, 40 - Humaitá - Rio de Janeiro - RJ / Brasil / CEP: 22271-040
Tel: 55 21 2463-2692 / Fax: 55 21 2462-3274
Website por RDWEB