Voltar para o topo

Notícias

20/11/21 19:27

Copa Brasil 2021 - Sogipa vence Reação por 4 a 3 para ficar com o bronze

Daniel Cargnin (73kg), Talita Libório (+70kg) e Jéssica Lima (57kg), duas vezes, fizeram os pontos que deram a vitória aos gaúchos, neste sábado, 20, em Pindamonhangaba (SP)

A equipe da Sogipa (RS), liderada pelo medalhista olímpico de Tóquio 2020, Daniel Cargnin, conquistou, neste sábado, 20, a medalha de bronze na Copa Brasil Interclubes de Judô, principal competição por equipes mistas do judô brasileiro. O pódio veio com vitória por 4 a 3 sobre o Instituto Reação (RJ). Daniel Cargnin (73kg), Talita Libório (+70kg) e Jéssica Lima (57kg), duas vezes, fizeram os pontos que deram a vitória aos gaúchos na arena montada pela CBJ em Pindamonhangaba (SP).  

“Foi uma conquista, realmente, muito difícil. A gente veio com uma equipe muito capaz, mas que não era a nossa equipe principal e quem veio deu conta do recado. Eu acho que o resultado da Sogipa foi muito verdadeiro, foi uma conquista muito importante e todos os atletas estão de parabéns”, pontuou Daniel Pires, técnico da Sogipa. O clube gaúcho poupou alguns de seus principais atletas, como os olímpicos Maria Portela (70kg) e Rafael Macedo (90kg), que se preparam para lutar a Seletiva Nacional em algumas semanas. 

O título da Copa Brasil ficou com o Pinheiros, que bateu o Minas por 4 a 0 na grande final deste sábado. 

O caminho até o bronze 

Na fase de grupos, Sogipa e Reação classificaram-se em primeiro lugar em seus respectivos grupos. A Sogipa venceu o Paineiras do Morumby (4 a 0) e o Minas Tênis Clube (4 a 2), mas caiu para o Pinheiros (4 a 3), na semifinal. 

Já o Reação venceu o SESI (4 a 0) e Pinheiros (4 a 3) na fase de grupos, e parou no Minas (4 a 3) , na semifinal.  

A disputa de bronze 

Em 2020, os dois clubes haviam ficado fora do pódio, que teve Pinheiros, Minas e Paineiras. Para este ano, as equipes se concentraram na busca pela medalha e chegaram às finais com o melhor desempenho na fase de grupos.  

A disputa pelo bronze começou com um duelo de gerações. O novato Gabriel Falcão teve a responsabilidade de abrir o confronto enfrentando o medalhista olímpico Daniel Cargnin. Na tática, Cargnin impôs maior volume de ataques e venceu a luta nas punições.  

O Reação empatou com imobilização de Danielle Karla Oliveira sobre Aine Schimidt, no 70kg. Gustavo Assis bateu Matheus Assis, no 90kg, para virar o placar a favor do Reação.  

A Sogipa empatou com Talita Libório (+70kg), que perdia por um waza-ari e conseguiu buscar o ippon sobre Renata Januário.  

Nos pesados, o Reação voltou a liderar graças à vitória de João Cesarino sobre Leonardo Lopes.  

A Sogipa foi, então, para a última luta com Jéssica Lima tentando manter o time gaúcho vivo no combate. Ela não decepcionou e venceu Jéssica Pereira por ippon para deixar tudo igual. As duas mal respiraram e já tiveram sua categoria sorteada para a luta de desempate.  

Pereira voltou mais agressiva e buscou a luta de solo, seu ponto forte, para vencer Lima. Foi aí que o lance mais discutido da competição aconteceu. Jéssica Pereira tentava encaixar o sankaku, uma técnica de imobilização com as pernas, enquanto Jéssica Lima tentava defender-se. O árbitro deu o comando de matê para paralisar a luta e Pereira indicou que sua adversária teria batido, o que seria ippon. A arbitragem entendeu o contrário e deu seguimento à luta. Jéssica Lima, então, conseguiu projetar Pereira e marcar um waza-ari que garantiu a vitória e a medalha da Sogipa na competição.  

Ao final, Jéssica Lima enalteceu sua adversária e explicou o que aconteceu naquele momento decisivo da luta final.  

“Eu e a Jéssica viemos da categoria de baixo (52kg), então já tinha enfrentado ela outras vezes. Mas, nunca tinha saído com a vitória. Desde então, as duas subiram de categoria e eu vinha numa evolução, sabia que ia ser uma luta muito dura. Mas, estava confiante no meu judô, tenho consciência de tudo que eu estava fazendo. Ela apertou, e foi tudo muito simultâneo, o árbitro deu matê e eu realmente bati ali. Mas, foi muito simultâneo. A Jéssica é uma atleta muito dura eu sei que vou enfrentá-la o ciclo olímpico inteiro e sei que teremos mais muitas lutas boas pela frente”, disse a atleta da Sogipa ao deixar o tatame. 





Veja Também
24/05/22 10:53 Aberto Nacional Sub-23 é nova aposta da CBJ para acelerar processo de transição base-principal 20/05/22 10:34 CBJ lamenta o falecimento do sensei João Shimabukuro 19/05/22 10:06 ELEIÇÃO CACBJ - Conheça os candidatos 17/05/22 16:02 Mayra Aguiar e João Derly inspiram nova geração de judocas em festival infantil promovido pela Sogipa 14/05/22 21:49 SUL-AMERICANO DE VETERANOS - Maioria entre os inscritos, brasileiros dominam pódios do Sul-Americano de Veteranos 13/05/22 21:14 PAN-AMERICANO DE VETERANOS - Com maior delegação, Brasil lidera quadro geral de medalhas, fechando competição com 181 medalhas 13/05/22 18:36 Rafael Silva representa Judô no III Fórum de Comissões de Atletas promovido pela CACOB 13/05/22 17:53 Nunca é tarde demais para tentar de novo 13/05/22 11:50 Animada cerimônia de abertura do Pan de Veteranos tem apresentação da Banda Yayá Muxixa e presença de autoridades 12/05/22 13:47 Conselho de Ética forma Comitê Eleitoral para conduzir eleição da Comissão de Atletas da CBJ
PATROCINADOR OFICIAL
 
Apoio
Travel Ace Assistance CBC
Siga-nos nas redes sociais
Confederação Brasileira de Judô
Horário de funcionamento: Segunda à Sexta das 9h às 18h
Rua Capitão Salomão, 40 - Humaitá - Rio de Janeiro - RJ / Brasil / CEP: 22271-040
Tel: 55 21 2463-2692 / Fax: 55 21 2462-3274
Website por RDWEB