Voltar para o topo

Notícias

23/02/20 15:57

Mayra Aguiar é prata e Rafael Silva fica com o bronze no último dia do Grand Slam de Düsseldorf

Beatriz Souza (+78kg) e Rafael Buzacarini (100kg) lutaram pelo bronze, mas terminaram em quinto lugar

Mayra Aguiar x Alexandra Babintseva. Foto: Marina Mayorova/IJF Mayra Aguiar x Alexandra Babintseva. Foto: Marina Mayorova/IJF

O Brasil fechou sua participação no Grand Slam de Düsseldorf, neste domingo, 23, com dois judocas no pódio. Mayra Aguiar, que defendia o título de 2019, ficou com a prata, enquanto Rafael Silva Baby (+100kg) conquistou a medalha de bronze. Beatriz Souza (+78kg) e Rafael Buzacarini (100kg) também chegaram às disputas pelos bronzes de suas categorias, mas terminaram em quinto lugar.  

Essa foi a sétima competição do judô brasileiro em 2020 com o país chegando à vigésima medalha na temporada. A classificação olímpica vai até o dia 30 de maio e os convocados para Tóquio 2020 serão divulgados nos dias 01 e 02 de junho pela CBJ e pelo COB. 

Mayra estreia com pódio na sua primeira competição do ano olímpico 

A competição marcou a estreia de Mayra Aguiar no Circuito Mundial em 2020 e a bicampeã mundial começou o ano olímpico com tudo. O caminho até sua segunda final consecutiva em Düsseldorf começou com vitória por ippon sobre a equatoriana Vanessa Chala, na primeira rodada. Nas oitavas, a brasileira passou por Alexandra Babintseva, da Rússia, por ippon novamente, e foi às quartas-de-final, onde derrotou a austríaca Bernadette Graff, nas punições.  

O duelo de semifinal foi tenso e equilibrado, com Mayra mantendo a agressividade e a concentração em confronto aguerrido com a cubana Kaliema Antomarchi a quem já havia superado outras sete vezes, incluindo a final dos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019.  

Depois de forçar duas punições à adversária no tempo normal, Mayra foi decisiva no Golden score e liquidou o duelo com um waza-ari para garantir-se na final do Grand Slam.

Na decisão pelo ouro, Mayra foi para cima de Shori Hamada, mas a japonesa encaixou uma transição para a luta de solo e buscou a imobilização para conquistar o ouro e deixar a prata para Mayra.  

Bronze da resiliência para Rafael Silva após fratura na mão em 2019 

A segunda medalha brasileira na competição alemã veio com o peso-pesado Rafael Silva, o Baby. Desde o Mundial de Tóquio, em 2019, ele vinha batendo na trave, com quintos lugares em Tóquio, Brasília, Paris e um sétimo em Osaka. Isso porquê, na véspera dos Jogos Pan-Americanos e do Mundial, Baby fraturou a mão durante um treinamento no Japão e, desde então vinha buscando retornar aos pódios do Circuito Mundial. 

A medalha da resiliência chegou para o pesado brasileiro neste domingo, em Düsseldorf, com vitórias sobre Erik Abramov (GER), Pedro Pineda (VEN) e Aliaksandr Vakhaviak, da Bielorrússia, algoz do brasileiro David Moura, na primeira rodada.  

A única derrota foi na semifinal diante do campeão mundial de 2018, Guram Tushishivili (GEO), com uma punição bastante controversa para o brasileiro.  

Na luta pelo bronze, Rafael impôs maior volume de ataques e derrotou Richard Sipocz, da Hungria, nas punições para garantir a medalha.  

Buzacarini e Bia ficam em 5º lugar  

O Brasil ainda teve outras duas chances de medalha, com Rafael Buzacarini (100kg) e Beatriz Souza (+78kg), que perderam suas disputas pelo bronze e terminaram em quinto lugar, após boa campanha nas preliminares.  

Buzacarini venceu Daniel Dichev (BUL), Danilo Pantic (MNE), Karl-Richard Frey (GER) e Giorgi Chikovani (GEO), com direito a dois ipponzaços sobre o alemão e o georgiano.  

Na semi, contudo, Rafael tentou um ataque, mas foi surpreendido pelo usbeque Mukhammadkharim Khurramov e teve que lutar pelo bronze com o húngaro Miklos Cirjenics.  

No combate pela medalha, Cirjenics conseguiu a projeção por ippon e ficou com o bronze. Buzacarini fechou sua participação no Grand Slam de Düsseldorf em quinto lugar.  

No pesado feminino, Beatriz Souza também começou bem, vencendo Paula Kulag, da Polônia, e Nina Cutro-Kelly, dos Estados Unidos, por ippon, até chegar às quartas. Nesta fase, a brasileira foi superada pela azeri Irina Kindzerska e teve de se recuperar na repescagem, vencendo Nihel Chekh Rourhou nas punições.  

Com a vitória, Bia avançou à disputa pelo bronze do Grand Slam de Düsseldorf, mas caiu para a número um do mundo, a cubana Idalys Ortiz, que conquistou a medalha. 

Pararam nas preliminares 

Outros quatro brasileiros também lutaram neste domingo, mas não avançaram ao bloco final. David Moura (+100kg), Maria Suelen Altheman (+78kg), Rafael Macedo (90kg) e Leonardo Gonçalves (100kg) não conseguiram superar seus primeiros adversários e despediram-se mais cedo do Grand Slam.

As próximas competições da seleção principal no calendário internacional são o Grand Prix de Rabat, no Marrocos, de 06 a 08 de março, e o Aberto Pan-Americano de Bariloche, na Argentina, de 07 a 08 de março.     





Veja Também
27/03/20 20:23 Clubes e CBJ promovem Desafio Olímpico, ao vivo, no Instagram 27/03/20 13:58 SESSÃO PIPOCA – Assista a documentários, reportagens especiais e vídeos sobre Judô 25/03/20 14:01 ALÉM DO JUDÔ – Judoca e enfermeira 24/03/20 15:39 Nota Oficial - Adiamento dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 24/03/20 14:56 Clubes apostam em plataformas digitais para manter atletas ativos durante a quarentena 24/03/20 12:32 Reações de dirigentes e atletas do Judô sobre o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio para 2021 23/03/20 16:36 COB reforça orientações e recomendações aos atletas sobre cuidados com o Coronavirus 21/03/20 13:39 Confederação Brasileira de Judô endossa posicionamento do COB em defesa do adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 18/03/20 18:33 ALÉM DO JUDÔ - Judoca e advogado
PATROCINADOR OFICIAL
FORNECEDOR OFICIAL
Apoio
PARCEIROS DE MÍDIA
Siga-nos nas redes sociais
Confederação Brasileira de Judô
Horário de funcionamento: Segunda à Sexta das 9h às 18h
Rua Capitão Salomão, 40 - Humaitá - Rio de Janeiro - RJ / Brasil / CEP: 22271-040
Tel: 55 21 2463-2692 / Fax: 55 21 2462-3274
Website por RDWEB